jusbrasil.com.br
31 de Março de 2020

Direito Sistêmico e as Constelações Familiares na Advocacia

Lidiane de Campos Baldo, Advogado
há 5 meses

O Direito Sistêmico é a aplicação das leis ou ordens do amor de Bert Hellinger no campo do Direito. A expressão “Direito Sistêmico” foi introduzida pelo juiz brasileiro Sami Storch, o magistrado foi o pioneiro no uso das Constelações no contexto jurídico. Sendo precusor e inspiração para tantos outros juízes que entraram em contato com a ferramenta através de palestras, workshops ou cursos para magistrados, que Sami ministra pelo Brasil e pelo mundo. Tendo hoje reconhecimento do próprio Bert Hellinger, o criador das constelações, seu trabalho ganhou destaque e tem inspirado juízes de todo Brasil a se capacitarem para introduzir as constelações na resolução de conflitos judiciais.

Com a inserção das constelações familiares nos tribunais brasileiros, os operadores do direito, hoje voltados para a pratica da advocacia sistêmica, ou seja, uma pratica humanizada, começaram a buscar a formação em constelações familiares e com estas vieram a cura interior, o crescimento pessoal e o entendimento que a técnica da constelação familiar, com falas sistêmicas, os desenhos narrativos, os bonecos, entre outros, são instrumentos espetaculares para ajudar na resolução do conflito.

O uso do método das constelações possibilita um olhar ampliado para a verdadeira solução dos conflitos entre pessoas, as soluções podem ser no âmbito familiar, empresarial, escolar e institucional. O advogado (a), para conseguir tomar o amor como ele é, precisa entrar em sintonia com todo o sistema familiar do cliente, devendo esta sintonia durar somente o tempo da ação da ajuda, como ensina Bert Hellinger em seus livros de treinamentos publicados.

Atualmente o Direito Sistêmico vem crescendo, o método de resolução de conflitos com o uso das constelações está em conformidade com a Resolução nº 125 do Conselho Nacional de Justiça e com diversos dispositivos do Código de Processo Civil – Lei nº 13.105, 16 de março de 2015.

Salientamos, que cada profissional tem seu caminho, suas escolhas e seus estímulos para o exercício profissional. Tudo faz parte e tudo está certo, ou seja, todos nós pertencemos, independente se somos advogados, partes e serventuários da justiça. Segundo a filosofia de Hellinger, podemos concluir que a advocacia litigante tem seu lugar e os profissionais que se sentem confortáveis e habilidosos com essa forma de atuar estão a serviço do sistema e são importantes. Aqui não cabe julgamentos e nem apontamentos do que é bom ou mal.

Dessa forma, podemos unir a inovação das Constelações Familiares com a tradição, experiência e conhecimento que já possuímos, o que possibilita uma estreita ligação com a efetiva mediação e mesmo resolução dos conflitos, busca levar um novo olhar à desgastada letra fria da lei, tratando cada caso com especial atenção.

Atualmente a visão sistêmica está sendo ampliada em todas as áreas jurídicas, com ênfase maior no Direito de Família e Sucessões e no Direito Penal, as Constelações Sistêmicas podem ser realizadas individuais ou em grupo. Sendo fundamental importância o aprimoramento para se tornar um profissional excelente que realmente atenda as demandas de seus clientes ou jurisdicionados, o trabalho exige muita responsabilidade por tocar a alma e o sistema de forma ampliada, lembrando que estamos todos conectados.

1 Comentário

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

Excelente artigo! continuar lendo